background image

Consagrados ao Coração

de Maria desde 1967

Orar // Sementes de Esperança // Meditação - JULHO-AGOSTO

FOLHA DE ORAÇÃO

PRODUTO MENSAL

PROJECTO MENSAL Receba em sua casa, por correio e gratuitamente, esta Folha de Oração!


 

INTENÇÃO NACIONAL

 

 

Para que a estação do Verão, que é também tempo de férias, seja bem aproveitada para um melhor conhecimento de si, descobrindo que o repouso que tranquiliza a alma só em Deus se pode encontrar, Ele que não descansa, que não tem férias.


 

Até ao fim do mundo

 

Este ano do centenário das aparições deve ser bem aproveitado para vermos até que ponto temos interiorizado a Mensagem de Fátima. Que ela seja digna de crédito, aí está o testemunho dos Pastorinhos, a sua vida de santidade, agora confirmada pela Canonização do Francisco e da Jacinta; aí estão as visitas dos Papas recentes, de Paulo VI ao Papa Francisco; aí estão as três rosas de ouro oferecidas ao Santuário, por Paulo VI, por Bento XVI e agora pelo Papa Francisco; aí estão as multidões de peregrinos que acorrem ao Santuário para rezarem no lugar que a Virgem Maria santificou com a sua Aparição.

Numa das Aparições, Lúcia perguntou a Nossa Senhora acerca de duas suas conhecidas que tinham morrido havia pouco tempo. A resposta de Nossa Senhora foi que uma delas já se encontrava no Céu, mas que a Amélia ficaria no Purgatório até ao fim do mundo. O que significa dizer que alguém ficará no purgatório até ao fim do mundo?

A minha resposta é a seguinte: o Purgatório faz parte daquelas grandezas finitas, e neste sentido é uma fase transitória, entre a nossa vida terrena e a visão beatífica, a contemplação de Deus face a face. A Irmã Lúcia diz-nos que o purgatório é um espaço de tempo de purificação pelo amor, porque só o amor purifica. E esta purificação, pela qual todos temos de passar, durante a vida ou depois da morte, é feita pelo sofrimento, pelas provações, pelas quais se dá a aprendizagem da morte, do morrer para si mesmo, como condição para alcançar o sentido autêntico da vida, segundo aquele adágio popular cheio de sabedoria: pensa na morte e viverás!

A Moisés, que pedia a Deus que lhe mostrasse o Seu rosto, Deus responde: ninguém pode ver o meu rosto e continuar a viver (cf. Ex 33,20). O Purgatório é o lugar onde se dá a necessária purificação, activa (o que devemos fazer em termos de ascese, de abnegação, de autodomínio, de sacrifício) e passiva (aquilo que vem ao nosso encontro, em termos de sofrimento, de provações, de doenças ou de outras situações, que devemos suportar) durante a vida e depois da morte.

Durante a nossa vida, não há situações definitivas, tudo é passageiro, segundo o adágio popular: não há mal que sempre dure, nem bem que não se acabe. Na experiência histórica, por mais difíceis e terríveis que sejam as situações, não são definitivas, também elas têm um fim; mas também os momentos de felicidade, os poucos que há, são sempre tão fugazes, porque ninguém pode dar a ninguém o paraíso neste mundo. Então só resta o Purgatório, que é a grandeza transitória, passageira, mas que caracteriza a nossa vida e que lhe dá sentido: se for vivida como amor, liberta-nos; se não for vivida como amor, oprime-nos. Mas em todo o caso, faz parte das realidades passageiras e por isso termina com o nosso mundo: também nós ficaremos no purgatório até ao fim do mundo, aqui ou depois da morte, se a purificação ao longo da nossa vida não tiver sido suficiente para que, totalmente purificados e libertos dos restos do  pecado que nos prendem a nós mesmos, possamos contemplar Deus face a face.

Há dois sacramentos que nos permitem participar nesta purificação: o sacramento da Penitência e a Unção dos doentes. É por estes sacramentos que o Senhor vai curando as nossas feridas, do pecado e da doença, e dando-nos a Paz, aquela Paz que vem de Deus, e que nos conforta e nos prepara para vivermos a comunhão. Mas também temos um sacramento que já nos dá uma pregustação do paraíso, pois o que é o paraíso senão Deus mesmo? É o sacramento da Eucaristia, o sagrado convívio em que aqueles que estão purificados podem participar no banquete que Deus oferece aos Seus filhos.

 

 
 

Pe. José Jacinto de Farias, scj

Assistente Espiritual da Fundação AIS

Mês:
 

CONCERTO MARIANO | FÁTIMA | 13 SETEMBRO


13-09-2017

catalogo