Detalhe

19-2-2013

SÍRIA: O sofrimento indizível dos refugiados cristãos


Caros amigos,


Dirijo-me a todos vós com um apelo urgente!
É um eco distante, dramático, envolto em lágrimas que nos chega da SÍRIA...

 

Desfeito em lágrimas, este pai segura o seu filho morto após a explosão de uma bomba. Deslocados sírios, crianças e adultos, aguardam pela única refeição diária, no campo de refugiados. Um jovem procura aquecer-se junto a uma pequena fogueira num dos campo de refugiados, na fronteira entre a Síria e a Turquia, perto da cidade de Azaz.

 Fotos: © Epa/ Lusa

 

A guerra, de praticamente 22 meses, para depor Bashar al-Assad, atingiu níveis de violência sem precedentes. Já foi atingido 1 milhão os refugiados sírios que vivem em campos improvisados e estima-se que metade são crianças, a maioria com menos de 11 anos. A guerra civil já matou mais de 70 mil pessoas e não há sinais de que este clima de extrema violência e incerteza venha a acabar tão cedo. (vídeo)

 

Perante estes dados é preciso ter em conta os milhões de deslocados internos e  as milhares de pessoas que continuam a atravessar as fronteiras todos os  dias para que se possa ter uma noção mais aproximada do real drama que  vivem os sírios. A Síria está a caminhar para um desastre de grande escala!

 

Tudo se resume a uma palavra: medo! E os cristãos que ainda estão na Síria vivem apavorados.  Ainda agora recebi a triste notícia da confirmação de rapto de três sacerdotes na Síria. Até ao momento não se sabe do seu paradeiro...

 

E recentemente recebi um testemunho emocionado de um sacerdote Sírio ao qual não pude ficar indiferente que me dizia: 

 

"...Morte por bombas, carros-bomba, raptos e resgates, insegurança nas estradas, inflação e escassez de toda a espécie, embargo e estrangulamento da economia, a vida nómada dos desalojados, o encerramento de escolas... o Inverno sem roupa quente nem aquecimento, morrer longe dos pais, da paróquia e das sepulturas da família, sem trabalho nem recursos, esperando uma esmola ocasional. Esta ladainha do sofrimento e miséria intermináveis continua diariamente perante o silêncio do mundo. Até a ajuda humanitária só chega a uma minoria dos milhões de refugiados e famílias afectadas e abandonadas à sua sorte. Perante esta crise sem fim nem piedade, a família síria carrega sozinha a sua pesada cruz. (...) Ao ouvir as bombas a rebentar sobre o bairro, uma criança de quatro anos, abraçada à mãe, com os olhos cheios de lágrimas, passa o dia a perguntar: 'Mãe, quando é que vamos morrer?' Meu Deus... Tem piedade de nós."

 

São testemunhos desconcertantes que chegam à AIS, infelizmente quase todos os dias...

 

A Fundação AIS disponibilizou agora mais uma ajuda de 155.000€ para as necessidades mais urgentes: alimentação, medicamentos, geradores e roupa.

 

Apoie os refugiados da Síria »

 

O dinheiro é entregue à Igreja local, única forma de se garantir que a ajuda chega mesmo a quem precisa, sendo canalizada através de paróquias e dioceses para os refugiados na Síria, Jordânia e Líbano.

 

A tensão é insuportável! Não têm quaisquer perspectivas e o futuro no seu próprio país é cheio de incertezas. Milhares de pessoas dependem totalmente da Igreja. É por essa razão que é tão importante distribuir a ajuda através das estruturas da Igreja.

 

Não há palavras que consigam descrever o clima de horror que se vive! Mas se não fizermos nada, as populações ficam abandonadas à sua sorte. Por isso, queridos amigos, ficarei muito grata se responderem a este apelo excepcional.

 

A vossa oração e apoio, mesmo que  modestos, ser-lhes-ão infinitamente preciosos. Em nome de milhares de refugiados, o nosso “Muito obrigado!” e que Deus vos recompense e vos abençoe, na Sua infinita misericórdia,

 

 

Catarina Martins de Bettencourt

Directora da Fundação AIS

 

 

P.S. Nesta Quaresma os donativos e receitas do catálogo reverterão para minorar o calvário de milhares de cristãos refugiados da Síria.

 

> 30€ permite que uma família síria sobreviva durante um mês!

 

 


 

OBSERVATÓRIO: Síria

 






*Sem Comentários
deixar comentario
Mês:
 

LANÇAMENTO DE LIVRO


19-11-2014

catalogo