background image

"Convido-vos a todos, juntamente com a Fundação AIS,

a fazer, por todo o mundo, uma obra de misericórdia."

PAPA FRANCISCO

Detalhe

31-10-2016

Iraque: Cristãos celebram missa de novo em Qaraqosh, após


Foi comovente e simbólico. Ontem, um punhado de fiéis celebrou a missa na Catedral da Imaculada Conceição, em Qaraqosh, pondo fim a um exílio forçado de dois anos e três meses, desde que a região foi sacudida pela violência dos jihadistas do auto-proclamado “Estado Islâmico”.

A libertação desta cidade, ocorrida apenas no início da segunda quinzena de Outubro, fez parte de uma vasta ofensiva militar da coligação internacional liderada pelos Estados Unidos e que tem como objectivo a reconquista de Mossul, considerada como a “capital” dos jihadistas no Iraque.

A celebração foi presidida pelo Arcebispo Católico siríaco de Mossul, D. Yohanna Petros Mouche.

“Depois de dois anos e três meses de exílio, celebrámos a Eucaristia na Catedral que os jihadistas queriam destruir”, afirmou o prelado sublinhando a importância simbólica desta primeira missa após a ocupação de Qaraqosh para toda a comunidade cristã iraquiana.

A celebração contou ainda com a presença de quatro sacerdotes. Um deles, o padre Majeed Hazem, citado pelo ‘site’ de informação 'Al Monitor', lançado no rescaldo da Primavera Árabe e com o foco nos países do Médio Oriente, recordou os dias dramáticos da fuga maciça de milhares de cristãos no trágico mês de Agosto de 2014, durante a violenta invasão da Planície de Nínive pelos jihadistas.

Segundo o padre Hazem, nesses dias de violência os cristãos não tiveram alternativa: “não havia outra escolha senão a conversão” ao islão ou a escravidão. “Fugimos para preservar a nossa fé. Agora – avisa o padre Hazem - “vamos precisar de protecção internacional”.

PA | Departamento de Informação da Fundação AIS | info@fundacao-ais.pt

 

OBSERVATÓRIO: Iraque

 






*Sem Comentários
deixar comentario
Mês:
 

CONVITE | Conferência e Vigília de Oração com D. Sebastian Shaw (Paquistão)


29-01-2017

catalogo