background image

INFORMAR // IMPRENSA // Comunicado à Imprensa

Fundação AIS lança campanha de apoio às religiosas em todo o mundo


Comunicado à imprensa | Lisboa, 22 de Março de 2019

 

Mulheres Extraordinárias  

Há cerca de 660 mil religiosas em todo o mundo. Decidiram entregar as suas vidas a Deus e ao próximo. Vivem para servir e rezar. Ninguém imagina como seria a Igreja sem elas. Ninguém imagina como seria o mundo sem elas. Apoiar as mulheres consagradas a Deus faz parte também da missão da Fundação AIS. Nesta Quaresma, todos os secretariados internacionais da Ajuda à Igreja que Sofre estão empenhados numa campanha especial de apoio às irmãs.

Ao todo, actualmente, mais de 11 mil religiosas em 85 países são já apoiadas pela Fundação AIS, o que significa sensivelmente que uma em cada 60 irmãs desenvolve o seu trabalho, a sua missão, graças também à generosidade dos benfeitores e amigos da AIS.

A Campanha internacional que a Fundação AIS está a promover na Quaresma deste ano tem como propósito principal ajudar a conhecer melhor o trabalho, o esforço e a dedicação destas mulheres que decidiram entregar as suas vidas a Deus através do serviço à Humanidade.

A Campanha da Fundação AIS procura mostrar, com alguns exemplos de vida, de missão e de carisma, como as irmãs são “mulheres extraordinárias”.

São, de facto, mulheres extraordinárias que fazem, tantas vezes no mais absoluto anonimato, um trabalho insubstituível. Elas são responsáveis por creches, orfanatos, escolas, instalações médicas e paróquias. Muitas vezes arriscam a própria vida para cumprirem as suas missões.

A Fundação AIS procura, através desta iniciativa, ajudar a sensibilizar a sociedade para a importância do apoio ao trabalho, à missão das religiosas em todo o mundo. Tudo o que fizermos por destas mulheres enamoradas de Deus será sempre pouco. Nada paga o amor gratuito.

“O que seriam a igreja e a sociedade sem as irmãs, sem as mulheres consagradas?” – questiona o Presidente Executivo internacional da Fundação AIS, Thomas Heine-Geldern. “Em muitos países, quando os governos falham e as organizações de carácter humanitário saem por causa das situações de tensão e de insegurança, as irmãs ficam.” Regina Lynch, directora de projectos da AIS, afirma que “sem as irmãs, seria impossível realizar o trabalho da Igreja nas circunstâncias mais difíceis”. “Eles são heroínas – acrescenta esta responsável – pois não se esquivam apesar das ameaças de perseguição ou de morte” que têm de enfrentar.

Apoiar as comunidades religiosas femininas – o que muitas vezes se traduz na ajuda para a própria subsistência das irmãs –, é uma das principais missões da Fundação AIS.

Uma ajuda que passa também pela formação das irmãs, por projectos de reconstrução de edifícios e estruturas destruídos por calamidades naturais, guerra, violência terrorista ou perseguição do próprio Estado, e ainda apoio para meios de transporte.

“As irmãs são verdadeiras heroínas. Todos os dias ensinam-nos o que é o amor gratuito, a entrega total aos outros. Na oração ou no trabalho com a comunidade, com os mais pobres, aqueles que a sociedade tantas vezes ignora, as irmãs traduzem em gestos concretos as palavras do Evangelho”, sintetiza Catarina Martins de Bettencourt, explicando a importância desta Campanha. “Elas dão-nos tanto. Será que podem contar connosco?” – pergunta a directora do Secretariado português da Fundação AIS.

“Mulheres Extraordinárias. Graças a Deus. Graças a si”, é o lema desta Campanha da Quaresma da Fundação AIS que vai ser lançada em Portugal na próxima terça-feira, dia 26 de Março, pelas 17horas, no Auditório do Colégio das Irmãs de São Vicente de Paulo, ao Campo Grande, em Lisboa. Na ocasião, haverá o testemunho de uma religiosa timorense das Missionárias Servas do Espírito Santo e a visualização de alguns vídeos com histórias de irmãs cujas congregações são já apoiadas a nível internacional pela Fundação Ajuda à Igreja que Sofre. 
 


 


NOTA DO EDITOR

Em todo o mundo existem milhões de pessoas que sofrem perseguição religiosa. Ajudar quem passa por estas situações e informar a opinião pública sobre as mesmas tem sido o mote da acção da AIS, uma organização dependente da Santa Sé cujo objectivo é apoiar projectos pastorais nos países onde a Igreja Católica está em dificuldade. A Organização tem secretariados nacionais em vinte e um países da Europa, América, Ásia e Oceânia, apoiando mais de cinco mil projectos todos os anos em cerca de 140 nações em todo o mundo.

A Fundação AIS agradece a colaboração dos MCS na divulgação desta informação!

Para mais informações, por favor, contacte o Departamento de Informação:

info@fundacao-ais.pt  |  21 754 40 00 

Mês:
 

1 Milhão de Crianças Rezam o Terço


18-10-2019

catalogo