background image

Detalhe

2-6-2010

Perseguições contra cristãos no Paquistão


Os cristãos sofrem dificuldades, impedimentos e perseguições no Paquistão, mas mantêm viva a chama da fé: é o que confirma, refere em entrevista à Agência Fides o Pe. Mario Rodriguez, sacerdote que vive em Karachi e Diretor das Pontifícias Obras Missionárias no país.

 

“Os cristãos no Paquistão, embora minoria, são pessoas de profunda fé. Frequentam regularmente a Igreja, lêem a Bíblia e dão-lhe um lugar central em suas vidas. Posso dizer, sem dúvidas, que são pessoas prontas a dar suas vidas pela fé”, afirma.

 

Segundo este responsável, “em muitas partes do país, a perseguição é latente, mas pode eclodir em qualquer momento”.

 

“Um dos maiores problemas é a existência da chamada lei da blasfémia, que quer tutelar o nome do Profeta Maomé. Se alguém o ofende, pode ser condenado à morte. Mas há evidentes instrumentalizações, por exemplo, se um muçulmano quisesse comprar um terreno de propriedade de um cristão que não concorda em vendê-lo, o muçulmano pode unir-se a um grupo de falsas testemunhas e acusar o cristão de blasfémia”, relata.

 

“Como comunidade cristã, pedimos respeito pelos nossos direitos”, conclui.

 

Departamento de Informação da Fundação AIS – info@fundacao-ais.pt


 

OBSERVATÓRIO: Paquistão

 






*Sem Comentários
deixar comentario
Mês:
 

TANZÂNIA | Documentário AIS na RTP


21-08-2019

catalogo