background image

Detalhe

1-9-2010

Paquistão: Governo responsável por não proteger as vítimas mais pobres das inundações


 

Segundo um alto representante da Igreja, as autoridades locais no Paquistão não providenciaram protecção suficiente às regiões inundadas, com um elevado número de grupos minoritários, referindo ainda que os mais pobres "são as maiores vítimas da actual crise”.

 

Esta fonte, que não pode ser revelada, descreveu que houve um desvio deliberado das águas do rio Indus, para zonas da província Sudeste de Sindh, com uma elevada densidade de comunidades tribais, grupos religiosos minoritários, compostos por cristãos e hindus.

 

Numa entrevista dada à Ajuda à Igreja que Sofre afirmou que membros do Governo local da província de Sindh conspiraram com os proprietários dessas terras para reforçar a margem do rio, que atravessa a sua propriedade e outros pontos considerados importantes, em detrimento de outras regiões que ficariam vulneráveis às inundações.

 

Esta fonte, um antigo membro da Igreja da região de Sindh, foi mais longe ao afirmar que foram inclusive retirados areia e outros minerais de zonas pobres para reforçar a margem do rio em zonas destinadas como prioritárias para protecção de inundações, e acrescentou: "Não foi só incompetência por parte das autoridades para proteger os mais pobres de potenciais inundações, foi sua intenção deliberada de que deveriam sofrer caso houvesse inundações".

 

Falou sobre a sua viagem chocante pela região ao encontrar o rio "incrivelmente cheio" e ao ver que ainda assim havia grandes canais nas proximidades que estavam "relativamente vazios", o que o levou a suspeitar que as águas da inundação tinham sido desviadas para áreas de menor importância.

 

A mesma fonte acrescentou: "Instituições sem fins lucrativos e outras organizações devem intensificar os seus esforços para ajudar as pessoas mais desfavorecidas, porque são as que mais sofrem com estas inundações. Elas são ignoradas há muito tempo."

 

Comentou ainda que uma elevada concentração de grupos minoritários é o único denominador comum em muitas das regiões mais afectadas pelas inundações, incluindo as áreas circundantes, Jacobabad, Sibi, Sukkur, Larkana, Shikarpur, Thatta e Ranipur.

 

Num país cuja população é 95% muçulmana, a província de Sindh tem um número desproporcionalmente elevado de grupos minoritários de comunidades tribais, cristãs, hindus e sikhs que podem praticar a sua fé com mais liberdade do que noutros lugares.

 

Comentários desta fonte da Igreja coincidem com a notícia de que a Ajuda à Igreja que Sofre está a estudar opções para uma ajuda de emergência para as vítimas das cheias também nesta região.


Este membro da Igreja ressaltou a necessidade urgente de água potável, alimentos e abrigo, bem como de redes mosquiteiras e acrescentou: “O sofrimento dos pobres aumenta a cada dia que passa. Nós, cristãos, devemos ajudar, devemos desempenhar o nosso papel."

 

Apoie as vítimas das cheias do Paquistão. Saiba mais »

 

John Pontifex, Responsável pelo Departamento de Informação AIS Inglaterra


 

OBSERVATÓRIO:

 






*Sem Comentários
deixar comentario
Mês:
 

TANZÂNIA | Documentário AIS na RTP


21-08-2019

catalogo