background image

Detalhe

3-9-2010

Paquistão: AIS envia mais 50 mil euros de ajuda


A Fundação AIS anuncia hoje, dia 3 de Setembro, um pacote de emergência mais elevado, para ajudar as milhares de pessoas mais afectadas pelas cheias, no Paquistão.



Os 50.000 € com destino à Província de Sindh, no Sudeste do país, é a mais recente ajuda que a AIS envia para as vítimas das cheias no Paquistão, o que perfaz uma ajuda total, até ao momento de 105.000 €.

 

Sendo Sindh a província mais atingida pelas cheias, esta última ajuda vem mais uma vez providenciar as necessidades mais básicas - alimentação, incluindo farinha, óleo e açúcar, bem como redes de purificação de água e mosquiteiros.



Referindo-se à aplicação da ajuda dada pela AIS, D. Max Rodrigues, Bispo de Hyderabad, diz que será para apoiar cerca de 10 mil pessoas nalgumas das áreas mais devastadas pelas inundações que incluem Sukkur, Kandhot, Kashmore e áreas fora da própria cidade de Hyderabad.



Num relatório que acompanha esta aplicação, D. Rodrigues alerta para o agravamento da crise, com o medo das pessoas mais necessitadas de virem a passar fome, um problema agravado pela "subida vertiginosa" da inflação.



A epidemia de cólera está "iminente", comenta, por causa da má nutrição e falta de água potável.



Referiu ainda que "vêm aí dias difíceis, uma vez que milhões de pessoas perderam tudo e não têm dinheiro, podendo assim vir a passar fome. O rescaldo das cheias pode ser pior. Deus nos ajude!"



O Bispo continua a dar um relato comovente desta desesperada missão de viajar às regiões mais afectadas para fornecer ajuda básica e apoio.



Escreveu-nos: "No caminho vimos muitas aldeias e vastas áreas submersas e as pessoas que fugiram das cheias sentadas em terrenos altos ao longo da via principal, sem comida e abrigo, à espera que chegue alguma ajuda."



Descrevendo cenários de pessoas que migram em números "nunca antes vistos na nossa história", D. Rodrigues acrescentou: "Para nós foi uma experiência inesquecível e muito dolorosa ver toda a cidade de Sujawal submersa e os barcos do exército a resgatar pessoas que se encontravam isoladas."



Reportando como 91 pontes foram danificadas ou destruídas pelas inundações, com as estradas que vão dar às áreas mais afectadas pelas cheias, praticamente intransitáveis, acrescentou: "A dimensão da catástrofe foi tão grande que parecia impossível chegar a todas as vítimas afectadas pelas cheias. "



Mas D. Rodrigues disse que, trabalhando com as várias dioceses, organizou uma equipa para ajudar a distribuir comida, sabão, água e mosquiteiros para as pessoas mais necessitadas.


Descreveu como na Escola Superior de Santa Maria, em Sukkur, as irmãs religiosas Nargis e Rosie estão a organizar equipas de voluntários que proporcionam refeições quentes e água a centenas de pessoas.


O Bispo Rodrigues disse que com a ajuda de AIS poderá alargar estes programas de ajuda e chegar a regiões no Sul da província que se encontram em extrema necessidade.



Comenta ainda o aumento dos relatos, incluindo algumas fontes próximas da AIS, que descrevem a forma como grandes proprietários construíram barragens e desviaram as águas para as áreas onde se localizavam os povoados e terras de pequenos agricultores e camponeses pobres povoadas por grupos minoritários, incluindo cristãos, hindus e sikhs.



Na segunda-feira (30 de Agosto), a agência de notícias Fides informou que 15 pessoas morreram depois que um político paquistanês, desesperado para salvar a sua propriedade, ordenou o desvio das águas para Khokharabad, uma aldeia cristã.



Esta aldeia ficou completamente submersa e 377 pessoas ficaram desalojadas e as culturas sofreram enormes danos. 

 

Se puder ajudar faça aqui o seu donativo »

 

John Pontifex, Responsável pelo Departamento de Informação AIS Inglaterra


 

OBSERVATÓRIO:

 






*Sem Comentários
deixar comentario
Mês:
 

TANZÂNIA | Documentário AIS na RTP


21-08-2019

catalogo