background image

Detalhe

23-7-2013

UM POVO EM LÁGRIMAS


O mundo parece ignorar o que se passa na República Centro-Africana. O antigo presidente foi obrigado a fugir para o vizinho Congo, à chegada das forças rebeldes do movimento islâmico Séléka*. Esse é um dia que ninguém consegue esquecer, porque aí começou o inferno: 24 de Março de 2013. Desde então, tudo tem vindo a desmoronar-se aos poucos. Desde então, todos os dias, tudo fica ainda pior. O país está a saque!

*Séléka quer dizer “Aliança”, na língua Sango. Este movimento foi formado pela fusão de seis grupos muçulmanos rebeldes do Sudão, Chade, Darfur e África Central. Embora os muçulmanos sejam apenas 15% de uma população de 4 milhões, a intenção é considerar todos os que não são muçulmanos como “dhimmis”, isto é, cidadãos de 2ª classe com direitos reduzidos. Este é um objectivo a ser atingido por meio da violência e do terror. O primeiro passo é acabar com a evangelização. E por essa razão roubam os automóveis, os computadores e os telefones, para impedir qualquer tipo de comunicação.

Os cristãos pedem-nos ajuda. Todos os dias há relatos de mulheres violadas, de crianças raptadas à força por bandos armados, populações aterrorizadas.
 
No meio do caos absoluto em que se transformou a vida na República Centro-Africana, a Igreja tem sido particularmente visada. D. Juan José Aguirre, bispo de Bangassou, faz um retrato do sofrimento a que as populações locais estão sujeitas.
 
“Com a chegada dos rebeldes, famílias inteiras fugiram para o Congo. Há violações constantes de mulheres e de jovens. Algumas suicidam-se de seguida. Eles roubaram tudo o que puderam, pilharam casas, queimaram-nas. As igrejas foram saqueadas e profanadas. Levaram-nos todos os meios de transporte para chegarmos às missões. Agora vou a pé, com a minha mochila, a todos os lugares. Há uma fúria brutal contra a Igreja Católica mas, com a ajuda de Deus, havemos de conseguir sobreviver.
 
D. Juan José Aguirre, Bispo de Bangassou, numa das suas visitas consola duas idosas.
  
EXTREMISMO RELIGIOSO
 
Segundo a agência de notícias Fides, até ao passado mês de Maio, mais de 200 mil cristãos abandonaram as suas casas e quase 50 mil refugiaram-se em países vizinhos.
 
A Igreja é, hoje em dia, a única organização que continua a prestar auxílio à população. Tudo o resto parou! Os hospitais não funcionam, as populações estão sem tratamento médico, as prateleiras das lojas estão vazias, não há alimentos e as escolas estão fechadas.
 
 
Esta foi uma das muitas casas queimadas em Ouango. Felizmente a criança paralítica que lá se encontrava foi poupada. Nem o armazém da maternidade escapou às pilhagens. As rodas do carro foram roubadas para impedir que o sacerdote visite as suas comunidades.
 
 Muitos sacerdotes foram já sequestrados. Há um receio fundado de que a hostilidade dos extremistas islâmicos contra os cristãos venha ainda a aumentar.
 
Milhares de pessoas fugiram de suas casas. Os poucos que ficaram são os missionários, os religiosos e as religiosas... Eles estão conscientes da situação, mas recusam abandonar os seus irmãos na fé.
   
«NEGOCEIO COM OS REBELDES DESDE O INÍCIO» Leia aqui a entrevista que a Fundação AIS fez ao P. Aurelio Gazzera, um sacerdote carmelita italiano, que negoceia o resgate de reféns, dialoga pela paz com os rebeldes e participa em encontros inter-religiosos.
 
Apesar da situação grave e das ameaças constantes, a Igreja Católica recusa-se a abandonar a população.
Foto: © EPA/LUSA
 
AJUDA DE EMERGÊNCIA
 
Também o Bispo Albert Vanbuel, de Bandoro, fala da devastadora passagem dos terroristas pela sua diocese. “Foi tudo destruído. Os arquivos foram pilhados e as organizações de ajuda foram-se embora. A escola não pode reabrir, os centros de saúde estão vazios e não há ninguém a trabalhar nos campos”. Depois, deixa uma pergunta amarga, carregada de impotência: “Quem nos pode ajudar? Que espécie de futuro pode ter o nosso pobre país?”
 
Perante a enorme gravidade da situação na República Centro-Africana, a Fundação AIS disponibilizou de imediato uma ajuda de emergência, para as dioceses mais atingidas pelo terror dos radicais islâmicos. Esta ajuda destina-se essencialmente para a aquisição de alimentos, assim como para alojamentos e medicamentos.
 
Saiba mais através do nosso Relatório ...Reze pela paz...Apoie este povo!

Veja aqui o relatório sobre a Rep. Centro-Africana »
 Oração pelo povo da Rep. Centro-Africana »  Apoie este povo »


 






comentarios
 
Nome:
José Pena Condesso
Comentário:
Vou na humildade da minha fé e oração jumtar-me a todos aqueles que suplicam a Deus Pai pela causa da PAZ autêntica entre os homens.
 
Nome:
Manuel Correia
Comentário:
Caros IIrmãos em Cristo Jesus. Gostaria, emenso de poder ajudar,com bens monetários, mas na verdade não posso! Poço sim, dentro da minha pobreza espiritual, unir-me a esse sofrimento, desses nossos irmãos. Penso, que é chegado o tempo da nossa Igreja Universal se despojar de tantos bens superfolos e acudir e acudir a estas grandes desgraças! Só assim poderá anunciar, Aquele que veio comunicar-nos a mensagem da paz. Quero de coração, felicitar todos os nosos irmãos Bispos, Sacerdotes, Missionários e Cristãos em geral, que tem a coragem de continuarem a morrer ao lado do seu Rebanho. Que o nosso Bom Deus, os continuem a comular de muitas Bençãos. Um abraço de muita estima, Manuel Correia
 
Nome:
José Pena Condesso
Comentário:
Vou na humildade da minha fé e oração juntar-me a todos aqueles que suplicam a Deus Pai pela causa da PAZ autêntica entre os homens, principalmente neste país vítima da fúria do ódio
 
Nome:
Fernanda
Comentário:
Acabei de fazer um donativo, Não posso ficar indiferente ao ver os meus irmãos a sofrer tanto.
 
Nome:
Luciano Ribeiro
Comentário:
Peçamos a JESUS por meio da oração que ilumine os homens para conseguirem alcançar a PAZ entre os homens, todos os homens de boa vontade.Confiemos
 
Nome:
M. Sarmento Pires
Comentário:
Li impressionada toda a notícia no site. Peço a Deus em união c/ F.AIS, pela PAZ, desse povo perseguido... confio que a oração em comum, tem muita força, porque Jesus reza no meio de nós! Que cessem os conflitos, e haja Justiça e Paz entre os homens de todo o mundo.
 
Nome:
ROSA MARIA
Comentário:
E com muita dor e tristeza que leio estas noticias. Vou redobrar a minha oração por este País e principalmente pelos mais fracos. Não me calarei, não me calarei diante dos homens e de Jesus!!Coragem Sr. Bispo e cristãos vocês estão mais perto do Senhor com as vossa lágrimas e dor!
 
Nome:
Isabel
Comentário:
Ainda dizem que Maomé era um santinho e que não inspira nada destes comportamentos!!! Informem-se, estudem para não dizerem barbaridades como David Cameron e outros que dizem que tudo isto são traições ao Islão!!!
 
Nome:
Ana Camara
Comentário:
Histórias reais que pensávamos ser relatos de horror do passado !!!!! como é possível o mundo não reagir contra esta minoria de gente raivosa e sem coração ??? Assim junto a minha oração por esta intenção Que Deus os acompanhe abençoe e proteja nestes tempos de dor e sofrimento
 
Nome:
ivani de souza
Comentário:
Comovida com o sofrimento dos meus irmãos africanos ,gostaria de saber como minha pequena ajuda pode chegar ate eles ,ate uma criança com fome ? Isso sim me doi muito .
 
Nome:
virginia
Comentário:
Me unirei a vocês em oração. Gostaria de receber o carnê para ajudá-los com o que eu posso. Deus os abençoe!
 
deixar comentario
Mês:
 

Terço Sem Fronteiras


25-05-2019

catalogo