background image

Detalhe

31-7-2014

Iraque: Jihadistas ocupam herdades agrícolas que abastecem a cidade de Qaraqosh, onde se refugiaram muitos dos cristãos de Mossul


Há um clima de medo entre os habitantes de Qaraqosh, uma cidade tradicionalmente cristã, situada relativamente perto de Mossul e onde se refugiaram muitas das famílias em fuga dos jihadistas.


Nos últimos dias têm surgido notícias de que elementos ligados ao ISIS, o grupo jihadista que capturou a cidade de Mossul e declarou a instauração de um “califado”, têm vindo a ocupar e a pilhar herdades agrícolas nas imediações de Qaraqosh, lançando o pânico entre a população e provocando, de imediato, um aumento em flecha do preço dos produtos agrícolas necessários para a alimentação da cidade.


Qaraqosh tem servido de refúgio para muitas famílias cristãs por estar a ser patrulhada por elementos das forças curdas. Caso contrário, todos os analistas acreditam que já teria caído nas mãos dos jihadistas.


Os terrenos agrícolas ocupados por elementos do ISIS encontram-se a apenas cerca de 2 quilómetros do perímetro de segurança imposto em torno da cidade, o que permite antever um sentimento de cerco entre a população.


Sem os terrenos e tendo ficado sem os animais que forneciam carne e ovos para os habitantes de Qaraqosh, os preços dispararam e já se fala na cidade num “efeito devastador”. Também se começa a fazer sentir nesta cidade uma enorme escassez de água potável por ter sido cortado o abastecimento que provinha de Mossul.


Entretanto,o Cardeal Barbarin Philip, Arcebispo de Lyon, França, fez uma visita a Qaraqosh na passada terça-feira, onde se inteirou das difíceis condições de vida dos refugiados cristãos.
 

Acompanhado, entre outros altos dignitários da Igreja, pelo Patriarca Caldeu Louis Raphael Sako o Arcebispo foi recebido pelo chefe da diocese síriaca-católica de Mossul,  Youhana Boutros Moshi.
 

No encontro, saudado pela comunidade local (na foto), foi reconhecido papel dos cristãos em Bagdade, a capital do Iraque, que tal como em Qaraqosh, se disponibilizaram para acolher as famílias em fuga de Mossul.


Recorde-se que, tal como a Fundação AIS já noticiou esta semana, o governo francês manifestou a sua disponibilidade para acolher os cristãos expulsos de suas casas pelos jihadistas do ISIS.


PA | Departamento de Informação da Fundação AIS | info@fundacao-ais.pt


 

OBSERVATÓRIO: Iraque

 






*Sem Comentários
deixar comentario
Mês:
 

TANZÂNIA | Documentário AIS na RTP


21-08-2019

catalogo