background image

Dê aos cristãos

a oportunidade de voltar para casa

Saiba mais

Detalhe

6-4-2018

Nigéria: Páscoa sangrenta em Maiduguri com duas dezenas de mortos em ataques do Boko Haram


A diocese de Maiduguri voltou a estar na mira dos terroristas do Boko Haram. Desde a Sexta-Feira Santa e até ao Domingo de Páscoa pelo menos vinte pessoas foram mortas em consequência de ataques da responsabilidade deste grupo islamita que procura instaurar um ‘califado’ na região norte do país.

Na sexta-feira, quatro mulheres suicidas, ainda jovens, com idades compreendidas entre os 13 e os 18 anos, atacaram um campo de deslocados, em Zawuya, nos arredores da cidade de Maiduguri e causaram dois mortos.

Horas mais tarde, já no domingo de Páscoa, um grupo de homens armados conseguiu furar as barreiras de sacos de areia que as autoridades colocaram em algumas entradas da cidade e provocaram pelo menos 18 mortos e mais de oito dezenas de feridos.

A intensa troca de tiros com os militares durou cerca de uma hora. Benlo Dambatto, diretor da agência de gestão de emergências de Maiduguri afirmou, em declarações à agência France Press, que “as pessoas foram assassinadas quando tentavam escapar à troca de tiros entre os islamitas e os militares”.

Maiduguri, uma cidade com quase três milhões de habitantes, tem estado no centro da violência do Boko Haram. Ainda em Fevereiro, um triplo atentado suicida no mercado de peixe de Kundura, uma localidade situada a cerca de 35 quilómetros da capital do estado de Borno, no noroeste da Nigéria, provocou pelo menos 19 mortos e cerca de sete dezenas de feridos.

Desde 2009, quando o Boko Haram iniciou as suas actividades, a região de Maiduguri foi fortemente atingida. Mais de duas centenas de igrejas, conventos, escolas e hospitais foram alvo de ataques ao longo destes anos, mas o número mais impressionante que resulta da violência do grupo islamita nesta diocese é o de 5 mil viúvas e cerca de 15 mil órfãos.

A dimensão do terror que se abateu sobre esta diocese é de facto impressionante e já levou, inclusivamente, a Fundação AIS a fornecer, só no ano passado, ajuda de emergência no valor de 70 mil euros para apoio às vítimas do Boko Haram.

Paulo Aido| Departamento de Informação da Fundação AIS | info@fundacao-ais.pt   


 

OBSERVATÓRIO: Nigéria

 






*Sem Comentários
deixar comentario
Mês:
 

Faça parte desta corrente de oração: Um milhão de crianças rezam o terço


18-10-2018

catalogo