background image

Dê aos cristãos

a oportunidade de voltar para casa

Saiba mais

Detalhe

7-5-2018

LÍBANO: Ajuda para a sopa dos pobres da Igreja, “Mesa Misericordiosa de São João”, para os refugiados sírios e outros necessitados



Para muita gente no Líbano, uma refeição quente diária não é de forma alguma um dado adquirido. Na cidade de Zaleh, a pobreza é particularmente grave. A cidade não fica muito distante da fronteira síria e, como consequência, muitos refugiados foram lá parar, tendo deixado todos os seus bens na Síria. E até entre a população libanesa local há muitos necessitados, especialmente entre os idosos e as crianças, de quem ninguém parece cuidar. Foi por esta razão que a Igreja Católica Greco-Melquita decidiu estabelecer, em 2015, a Mesa Misericordiosa de São João, a fim de ajudar estas pessoas, providenciando, entre outros serviços, uma refeição quente regularmente. O nome foi inspirado em São João Esmoler, do séc. VII, e não por acaso dado que São João era famoso pelo seu amor excepcional aos pobres. Onde quer que visse necessidades, trabalhava com todas as suas forças e recursos para a aliviar. Quando finalmente se tornou Patriarca de Alexandria, alimentava diariamente cerca de 7.900 pobres. Morreu por volta do ano 619 e é venerado tanto pelos Católicos como pelos Cristãos Ortodoxos.

Hoje o ministério comunitário fornece uma refeição quente diariamente a cerca de 1000 pessoas, um aumento de 400 pessoas em comparação com o ano anterior. Também estão envolvidos muitos refugiados sírios, que ajudam nas cozinhas, para assim também eles poderem ter uma oportunidade de ganhar a vida. Há um assistente dietético de um hospital católico da cidade que ajuda a assegurar que as refeições sejam equilibradas e saudáveis em termos nutricionais.

Claro que não se trata apenas de alimento para o corpo, mas também de comunicar o amor de Deus, o calor humano e o afecto aos necessitados. Muitos estão bastante sós. A Mesa de São João Misericordioso passou a ser para eles um lugar de encontro, não apenas para comer, mas também para falar com outras pessoas, partilhar o seu calor, um sorriso e um ouvido atento às suas preocupações. Rezam e cantam antes de cada refeição, sublinhando que se trata, acima de tudo, de cuidar das almas. É importante que todos experimentem esta dimensão espiritual. “Assim, todos sentimos o amor de Jesus, nosso Salvador. É um sinal do Seu amor por todos nós, que ajuda a sarar cada ferida”, diz uma das mulheres que ajudam. No caso dos idosos e doentes que não podem sair de casa, são os voluntários que lhes levam as refeições.


 

 

A Fundação AIS tem apoiado este projecto desde do início. Este ano vamos dar 780.000 € que se destinam para o próximo ano.


 

Apoie este projecto

 

 

 

O seu donativo irá financiar este ou outro projecto semelhante.  

 

 

 


 

OBSERVATÓRIO: Líbano

 






*Sem Comentários
deixar comentario
Mês:
 

Faça parte desta corrente de oração: Um milhão de crianças rezam o terço


18-10-2018

catalogo