background image

Detalhe

24-1-2019

CHINA: Autoridades da província de Henan transformam igrejas em teatros e salas de jogo


As autoridades da província chinesa de Henan estão a encerrar igrejas transformando-as depois em teatros, salas de jogos e outros locais de entretenimento.

Entre as igrejas ocupadas agora pelas autoridades comunistas estão –  segundo o site ‘Bitter Winter’, que monitoriza as questões relacionadas com a liberdade religiosa e direitos humanos na China –, entre outras, as de Caowu, Nanyang e Youzhai.

Nestas três localidades, as igrejas deixaram de ser locais de culto para se transformarem, por vezes, em locais de propaganda comunista. A igreja situada na vila de Caowu, por exemplo, ostenta desde há cerca de dois meses um cartaz onde se exaltam os “valores fundamentais socialistas”. E onde se podia ler “Igreja Cristã”, está agora a frase “grande amor à China”.

Na verdade, a antiga igreja de Caowu transformou-se, assegura o Bitter Winter, num “Centro Integrado de Serviços Culturais da Vila de Caowu”. Numa parede da antiga igreja pode ver-se agora um cartaz sobre a “gloriosa história do Partido Comunista”.

Em Nanyang, situada no distrito de Tanghe, as autoridades removeram a cruz do cimo do edifício da igreja e transformaram o antigo lugar de culto num centro de actividades desportivas e culturais.

Enquanto isto, na passada sexta-feira, o Padre Jjesuíta Matthew Chu Li-teh, que esteve preso durante mais de duas décadas na China, comemorou em Taiwan o 25º aniversário da sua ordenação sacerdotal.

A missa, onde se celebrou este aniversário, contou com a presença do bispo emérito de Hong Kong, Cardeal Joseph Zen Ze-kiun, do Ppadre Chu Yu-teh, do Padre Matthew Chu e do Arcebispo Ti-Kang de Taipé, e decorreu na Igreja Kuting Sacred Heart em Taipé.

O Padre Matthew e um dos seus irmãos, Chu Yu-teh, eram seminaristas quando as autoridades comunistas acentuaram a sua perseguição contra a Igreja Católica em Xangai na década de 50 do século passado.

Ambos foram presos e condenados a trabalhos forçados em campos de concentração durante 27 anos. Cerca de três centenas de fiéis assistiram a esta celebração eucarística que veio recordar um episódio concreto da perseguição comunista contra a Igreja na China numa altura em que parecem de facto estar a aumentar as políticas repressivas por parte das autoridades chinesas contra a comunidade cristã, apesar do recente acordo provisório entre a Santa Sé e Pequim para a nomeação dos bispos católicos.

Ainda na véspera de Natal, e tal como a Fundação AIS noticiou então, ocorreu uma manifestação de centenas de pessoas em Hong Kong em apoio aos cristãos perseguidos na República Popular da China.

PA| Departamento de Informação da Fundação AIS | info@fundacao-ais.pt

 

OBSERVATÓRIO: China

 






comentarios
 
Nome:
Maria Emilia Santos
Comentário:
O comunismo é a pior ditadura que existe à face da terra! Nem se entende como depois do sucedido na antiga US, depois de cem milhões de inocentes torturados e assassinados, ainda possam existir países que são obrigados a suportá-los! Portugal é um deles! Portugal, enquanto tiver a governá-lo os bloquistas ultra esquerdistas, será espezinhado por estes, amordaçado, e conduzido à miséria como está a ser na querida Venezuela.
 
deixar comentario
Mês:
 

Dê 0,5% do seu IRS em favor dos Cristãos perseguidos


01-02-2019

catalogo