background image

Detalhe

11-9-2019

ÍNDIA: Centenas de pessoas protestam contra actos de violência que têm atingido a comunidade cristã


Centenas de fiéis manifestaram-se na semana passada em Nova Deli contra os recorrentes actos de violência que têm atingido a comunidade cristã na Índia. Segundo o United Christian Forum, só no primeiro semestre deste ano foram já identificados 158 episódios de violência contra cristãos em 23 estados da Índia, que causaram ferimentos em quase duas centenas de pessoas.

“Os cristãos são vítimas de violência na Índia”, disse Minakshi Singh, activista dos direitos humanos e um dos organizadores da manifestação. Citado pela agência Fides, Singh afirmou que trata de uma luta pelos “direitos fundamentais: o direito ao culto e à liberdade religiosa como cidadãos deste país”. E acrescentou: “estamos aqui para protestar contra todas as formas de violência perseguição, injustiça e discriminação perpetradas contra cristãos e igrejas”.

Os ataques registados pelo Fórum cristão significam que praticar a fé pode revelar-se perigoso por causa da “insegurança” que se regista em “90% do território indiano”.

Sinal desta insegurança, a polícia de Jharkhand, um estado situado no leste do país, prendeu na passada sexta-feira, dia 6 de Setembro, dois sacerdotese um catequista sob a acusação de proselitismo, por estarem a fazer “conversões forçadas” e pela “ocupação ilegal de terras”. Segundo a agência Fides, um dos sacerdotes teria sido já libertado. 

Quando se fala sobre a violência contra os Cristãos na Índia nos tempos recentes é impossível ignorar os acontecimentos trágicos em Orissa em Agosto de 2008. No domingo, dia 25 de Agosto, dezenas e cristãos oriundos de várias paróquias da arquidiocese de Cuttack-Bhubaneswar rezaram pelas vítimas da violência anticristã no distrito de Kandhamal, no estado indiano de Orissa.

Ao fim de uma década, o balanço destes ataques ainda está inacabado. Calcula-se que mais de uma centena de pessoas tenham sido assassinadas pelos extremistas hindus e mais de 64 mil foram forçadas a fugir para salvar as próprias vidas. A magnitude da destruição ficou também visível nas habitações dos cristãos. Cerca de 6500 casas e 395 igrejas ou capelas foram destruídas.

Ainda hoje, 11 anos depois destes acontecimentos, cerca de 10 mil pessoas ainda não terão regressado a suas casas por medo de represálias. O balanço de Orissa implica também um olhar para a forma como a Justiça lidou com estes ataques. No total, segundo a agência Fides, “apenas 727 casos foram julgados no tribunal, onde mais de 88% dos réus foram absolvidos”.


PA | Departamento de Informação da Fundação AIS | info@fundacao-ais.pt


 

OBSERVATÓRIO: India

 






*Sem Comentários
deixar comentario
Mês:
 

RedWednesday


27-11-2019

catalogo