background image

Detalhe

13-9-2019

SÍRIA: Fundação AIS distribui este Domingo pelas famílias cristãs milhares de terços abençoados pelo Papa


No próximo Domingo, dia 15 de Setembro, vão ser distribuídos 6 mil terços pelas famílias cristãs da Síria numa grande iniciativa internacional da Fundação AIS que envolve directamente o Santo Padre.

De facto, o Papa Francisco deu o apoio pessoal a esta campanha quando abençoou, no dia 15 de Agosto , os terços que vão agora ser distribuídos às famílias deste país dilacerado por um violento conflito armado desde 2011.

Na ocasião, logo após a recitação do Ângelus e ao lado do Presidente Executivo internacional da Ajuda à Igreja que Sofre – sinal inequívoco da importância que atribui a esta iniciativa –, o Papa Francisco explicou que os terços da AIS são sinal da sua “proximidade”, especialmente para com as famílias que “perderam alguém por causa da guerra”.

Assumindo que “a oração feita com fé é poderosa”, o Santo Padre apelou na ocasião à comunidade católica para continuar “a rezar o rosário pela paz no Médio Oriente e pelo mundo inteiro”.

Também a comunidade portuguesa se vai associar a esta iniciativa, com a Fundação AIS a mobilizar para Fátima, para a sua Peregrinação Nacional, os benfeitores e amigos da instituição.

Assim, neste domingo, dia 15 de Setembro, o encontro no Altar do Mundo terá um duplo significado . Por um lado, renova-se a consagração da Obra a Nossa Senhora de Fátima, repetindo-se o gesto do fundador da Ajuda à Igreja que Sofre, o padre Werenfried van Straaten, em 14 de Setembro de 1967.


Por outro lado, vai haver um momento especial de oração pelos Cristãos da Síria, em comunhão com o Santo Padre e com os fiéis deste país que tanto têm sofrido com os horrores da guerra.

A distribuição dos 6 mil terços produzidos por famílias cristãs em Belém e na cidade de Damasco é apenas uma das faces visíveis de toda a solidariedade da Fundação AIS para com a Síria.

Há dezenas de projectos de assistência pastoral e de emergência destinados directamente à comunidade cristã. A guerra, que parece não ter fim, assim como as sanções económicas que continuam a ser aplicadas à Síria, estão a contribuir para uma situação económica sufocante que arrasta as famílias para o desespero.

Ainda no final do mês de Junho, o bispo maronita de Alepo expressava a sua preocupação por esta situação num discurso proferido no Parlamento Europeu. Para D. Joseph Tobji, as sanções “estão a matar o povo sírio da mesma forma que as armas”.

Questionando directamente os parlamentares europeus, o prelado deixou algumas perguntas: “Por que as crianças e os doentes têm que morrer por falta de remédios? Por que aqueles que perderam os seus empregos têm que morrer de fome por causa do embargo?” Perante esta realidade, os projectos assistenciais da Fundação AIS ganham uma relevância ainda maior.

O apoio às famílias em maior carência, com a distribuição de alimentos e medicamentos, mas também o auxílio na educação e formação de crianças e jovens, ou a reconstrução de igrejas e templos, além das iniciativas de apoio pastoral, são sinais inequívocos de solidariedade para com uma das comunidades cristãs mais atingidas pela violência nos tempos recentes.

Paulo Aido | Departamento de Informação da Fundação AIS |
info@fundacao-ais.pt

 

OBSERVATÓRIO: Síria

 






*Sem Comentários
deixar comentario
Mês:
 

1 Milhão de Crianças Rezam o Terço


18-10-2019

catalogo