background image

Detalhe

27-9-2019

IRAQUE: Reabre ao público biblioteca cristã destruída pelos jjihadistas na vila de Qaraqosh


A biblioteca cristã existente na vila de Qaraqosh, na Planície de Nínive, reabriu as suas portas ao público, sinal de algum regresso à normalidade nesta zona atingida fortemente pela violência jihadista no Verão de 2014.

Apesar de grande parte do acervo ter sido irremediavelmente destruído, foi possível recuperar ainda parte dos livros que constituíam a biblioteca que agora se assume como um ponto central na vida cultural desta região com profundas raízes cristãs.

Segundo a agência de notícias Asia News, o padre Duraid, que participou activamente no processo de recuperação e reconstrução da biblioteca, acredita que esta vai desempenhar ainda um papel fulcral na vida da comunidade. A biblioteca será, “num futuro próximo”, disse o sacerdote, “um espaço de encontro e pesquisa para intelectuais, autores, poetas e simples leitores”.

O mês de Agosto de 2014 marcou o início de um período negro na história destas terras bíblicas da Planície de Nínive, assim como de vastas regiões do Iraque. A invasão pelos jihadistas do Daesh levou à fuga de milhares de pessoas, muitas vezes apenas com a roupa que traziam vestida.

A Fundação AIS esteve presente, desde a primeira hora, no acompanhamento a estas famílias, a esta comunidade cristã que viram as suas aldeias e vilas situadas na Planície de Nínive serem sujeitas a uma devastação ímpar.

As casas e igrejas foram vandalizadas e destruídas, num ataque sem precedentes à herança cristã que subsistia nesta região iraquiana.

A destruição da biblioteca de Qaraqosh foi apenas um exemplo do que sucedeu na Planície de Nínive. Apenas dois anos mais tarde, em 2016, com as sucessivas derrotas militares impostas aos jihadistas, a região foi sendo libertada e as populações começaram timidamente a regressar.

Apesar de grande parte do acervo da biblioteca ter sido destruído, a reabertura do espaço, com cerca de 7 centenas de títulos, é uma vitória contra a violência, o obscurantismo e o ódio aos cristãos.

“Os livros encontrados no meio dos escombros foram recolhidos por fiéis e voluntários”, explicou o padre Duraid, e permitiram agora reabrir a biblioteca ao público.

Qaraqosh tem sido exemplo do enorme esforço da restituição às suas populações das estruturas que faziam parte do dia-a-dia nesta região cristã. A par da biblioteca, agora reaberta ao público, ainda recentemente, a 15 de Agosto, assistiu-se à reinauguração da Igreja dos Santos Benjamim e Sara, no que foi visto como um sinal de esperança para a comunidade cristã no Iraque.

A igreja tinha sido destruída pelos jihadistas do auto-proclamado Estado Islâmico durante o vendaval de violência que assolou a região após o mês de Agosto de 2014 e que levou à expulsão dos cristãos.

Por isso, a reinauguração do templo, que foi totalmente reconstruído, é um sinal claro da vontade das famílias cristãs de regressarem às suas terras, às suas zonas de origem.

Também o Papa Francisco está empenhado neste trabalho de apoio à comunidade cristã iraquiana. Em 15 de Novembro de 2017, o Santo Padre decidiu doar à Fundação AIS parte dos lucros do leilão de um automóvel de marca Lamborghini que lhe foi oferecido pelo famoso fabricante de carros desportivos.

Graças a 200 mil euros obtidos no leilão do automóvel, vão ser financiados novos projectos  de apoio às famílias cristãs e membros de outras minorias que regressaram entretanto a suas casas na Planície de Nínive.

PA | Departamento de Informação da Fundação AIS | info@fundacao-ais.pt   


 

OBSERVATÓRIO: Iraque

 






*Sem Comentários
deixar comentario
Mês:
 

1 Milhão de Crianças Rezam o Terço


18-10-2019

catalogo