background image

Detalhe

21-10-2019

SÍRIA: Casas de cristãos estão a ser marcadas na cidade de Tel Abyad na sequência da operação militar turca


O alerta chegou através das redes sociais. Depois do início da operação turca na Síria, para a criação de uma zona tampão no nordeste deste país, casas pertencentes a famílias da comunidade cristã e arménia na cidade de Tel Abyad foram marcadas com expressões ameaçadoras que fazem recordar os tempos negros vividos no Iraque durante a ocupação dos jihadistas do Daesh, o auto-proclamado Estado Islâmico.

“As casas estão reservadas para a Frente do Levante” [uma milícia pró-turca], pode ler-se em algumas dessas inscrições feitas a tinta nas portas e nas paredes das casas dos cristãos, nomeadamente no bairro de al-Shallal. Há registos, que não é possível confirmar de forma independente, de que algumas dessas casas pertencentes à comunidade cristã foram também assaltadas e há ainda o relato de que “vários jovens” terão sido espancados “sem motivo”.

As inscrições que agora foram divulgadas nas casas dos Cristãos na cidade de Tel Abyad fazem recordar os dramáticos tempos vividos no Iraque durante a ocupação da Planície de Nínive. Então, logo após o início do mês de Agosto de 2014, quando se deu a invasão dessas terras que são o berço da comunidade cristã iraquiana, também as casas dos cristãos foram marcadas, uma a uma, com a letra “N”, em árabe, identificando o seu proprietário como Cristão, como “Nazareno”, para serem depois confiscadas pelos jihadistas.

Entretanto, no que diz respeito à operação “Fonte de Paz”, lançada por Ancara para a criação de uma zona de segurança entre Turquia com a Síria, a situação permanece instável no terreno.

Ontem, o Presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, anunciou que o país vai prosseguir com a campanha militar já amanhã, terça-feira, se as milícias curdas não se retirarem para lá da faixa de 30 quilómetros que Ancara quer criar como zona de protecção para as suas fronteiras.

“Se respeitarem o acordo, tudo bem. Se não respeitarem, imediatamente quando se passarem as 120 horas, continuaremos a operação”, disse Erdogan, referindo-se à trégua acordada com os Estados Unidos na quinta-feira da semana passada.

Além da cidade de Tel Abyad, onde há notícias de que as casas dos cristãos estão a ser assinaladas, as forças turcas ocupam até ao momento também a cidade de Ras al-Ayn.

Nesta faixa de território da Síria que a Turquia quer controlar – e que se estende por cerca de 400 quilómetros de comprimento –, existem, além destas duas cidades, as de Kobani; Akcakale; Suluk; Ain Issa e Qamechli, entre outras.

Entretanto, organizações humanitárias presentes na região denunciam que, até ao momento, mais de 200 mil pessoas estão deslocadas como consequência directa da operação militar de Ancara, encontrando-se numa situação particularmente vulnerável.

PA | Departamento de Informação da Fundação AIS | info@fundacao-ais.pt   


 

OBSERVATÓRIO: Síria

 






*Sem Comentários
deixar comentario
Mês:
 

RedWednesday


27-11-2019

catalogo