background image

Presentes de Fé

Bow

Este natal, dê um presente que permaneça!

Bow

Saiba mais »

Detalhe

20-11-2019

ÍNDIA: Igreja lembra discriminação dos “dalits”, numa altura em que os cristãos sofrem cada vez mais ataques


Tem crescido significativamente nos últimos anos o número de casos graves de violência contra os cristãos na Índia. Segundo a Agência Católica de Informações, pode falar-se numa “uma onda de ataques” que não tem parado desde 2014, ano em que foram registados 150 incidentes contra pessoas pertencentes à comunidade cristã. Em 2016 foram já duas centenas; em 2017, chegaram a 270 e no ano passado foram 292.

A divulgação destes dados ocorre quase em simultâneo com a celebração do Dia da Libertação dos ‘dalits’, pessoas que, no complexo sistema de castas da Índia, são profundamente discriminados pela sociedade. Segundo dados governamentais, haverá cerca de 200 milhões de ‘dalits’, ou ‘intocáveis’, em toda a Índia, calculando-se que quase 60 % dos cristãos deste país são de origem ‘dalit’ ou tribal.

A discriminação dos cristãos na Índia, ‘dalits’ ou não, tem sido denunciada frequentemente pela Fundação AIS. No último relatório sobre a perseguição aos cristãos no mundo, que aborda o período entre Julho de 2017 e Julho de 2019, é referido que a situação na Índia “piorou”, confirmando que têm “aumentado os ataques a Cristãos, incluindo a morte de convertidos e violência sexual”.

Reportando todos os incidentes que envolveram a comunidade cristã, e não só os mais graves, como agora foi divulgado, a Fundação AIS assegura que só no ano passado “mais de 100 igrejas fecharam portas” devido a “ataques extremistas ou intervenção das autoridades”, sublinhando-se o facto de as autoridades revelarem “incapacidade” em lidar “com os ataques a minorias religiosas”, o que se traduziu num “clima de impunidade”.

Esta questão ganha particular relevo quando se fala nos ‘dalits’ ou ‘intocáveis’, que se encontram numa situação de enorme vulnerabilidade. E foi precisamente para lembrar os ‘intocáveis’ que a Igreja Católica decidiu instituir o segundo domingo do mês de Novembro como “Dia de Libertação”, promovendo em toda a Índia iniciativas relacionadas com a promoção dos direitos humanos.

Esse dia foi instituído igualmente para que os gravíssimos ataques ocorridos há cerca de uma década em Kandhamal, no Estado de Orissa, não caiam no esquecimento. Então, pelo menos 120 cristãos ‘dalits’ foram mortos e cerca de três centenas de igrejas e capelas foram destruídas.

Recorde-se que a Fundação AIS lançou, na Quaresma do ano passado, uma campanha para apoio material e espiritual aos cristãos ‘dalits’, campanha que procurou também dar a conhecer à sociedade portuguesa esta realidade tantas vezes ignorada no mundo ocidental.

PA | Departamento de Informação da Fundação AIS | info@fundacao-ais.pt

 

OBSERVATÓRIO: India

 






*Sem Comentários
deixar comentario
Mês:
 

Concerto de Reis LISBOA


05-01-2020

catalogo