<
background image

Dê aos cristãos

a oportunidade de voltar para casa

Saiba mais

 
África
Array
   Cristãos
   Animistas
   Outras Religiões
Católicos Baptizados
32.105.000
Circunscrições Eclesiásticas
47
Superfície
2.344.858
População
67.827.495
Refugiados
152.749
Desalojados
1.710.000
Rep. Democrática do Congo

O Artigo 13 da Constituição de 2006 (1) proíbe todas as formas de discriminação baseadas na religião, na origem da família ou na opinião.

O Artigo 22 garante total liberdade religiosa, com tudo o que isso implica em termos de organização, liberdade de educação, expressão privada e pública, sujeita aos limites requeridos pela ordem e a moral públicas.

É exigido que as organizações religiosas se registem, seguindo procedimentos que são muito simples, de modo a terem isenção em relação a certos impostos. Contudo, os grupos não registados também podem funcionar livremente.

Nas escolas estatais, os membros dos grupos religiosos podem disponibilizar educação religiosa.

Há consultas regulares entre o Governo e os representantes das diversas confissões religiosas no país.

O dia de Natal é feriado nacional.


Conflito na fronteira oriental

As graves situações de conflito armado ainda persistem, sobretudo no Norte do Kivu e noutras regiões na fronteira oriental da República Democrática do Congo (RDC). As milícias locais e estrangeiras têm estado envolvidas em raides mortíferos e saques.

Em 2011, membros do Exército de Resistência do Senhor (LRA) sedeado no Uganda levaram a cabo ataques no nordeste da RDC, no Sudão do Sul e na República Centro-Africana. Uma das muitas vítimas foi a Irmã Jeanne Yegmane, uma enfermeira e oftalmologista, antiga superiora da Congregação das Irmãs Agostinianas em Dungu, no nordeste do país. Foi morta em Janeiro de 2011. (2)

Em Junho de 2012, numa tentativa de resolver o problema do conflito armado na região da fronteira oriental, a Conferência Internacional da Região dos Grandes Lagos (ICGLR, uma entidade criada em colaboração entre as Nações Unidas, a União Africana e doadores bilaterais) criou um centro conjunto de informação em Goma para combater os grupos armados que operam na região. O seu pessoal inclui representantes dos serviços secretos dos estados-membros da ICGLR (RDC, Angola, Zâmbia, Tanzânia, Burundi, Ruanda, Uganda, África Central, República do Congo, Quénia e Sudão), além do Sudão do Sul, coordenados por um general angolano. (3)

A nível político, a segunda volta das eleições que deram origem à reeleição do actual presidente Joseph Kabila esteve repleta de tensões e violência. (4)


(1)  www.wipo.int/wipolex/en/text.jsp?file_id=193675
(2)  Agência Fides, 18 de Janeiro de 2011.
(3)  Agência Fides, 14 de Junho de 2012.
(4)  Agência Fides, 10 de Dezembro de 2011.



« Voltar