Fundação de Ajuda à Igreja que Sofre - Fundação AIS
Rua Professor Orlando Ribeiro, 5D 1600-076 Lisboa, Portugal
(+351) 217544000 apoio@fundacao-ais.pt Fundação AIS 1995
Lisboa
https://www.fundacao-ais.pt/uploads/seo/big_1585926010_1526_logo-jpg
15 10
505152304

Notícias

BURKINA FASO: Ajuda de emergência para cristãos vítimas do terrorismo é prioridade para a AIS

19 maio 2020
BURKINA FASO: Ajuda de emergência para cristãos vítimas do terrorismo é prioridade para a AIS
O agravamento da ameaça terrorista em algumas regiões do Burkina Faso está a provocar a fuga em massa das populações colocando numa situação particularmente vulnerável as comunidads cristãs. A situação é grave em todo o país mas tem vindo a acentuar-se nos últimos três meses nas regiões norte e leste, com relatos de ataques e aldeias isoladas por causa do risco enorme de insegurança.

Face a esta realidade e aos pedidos de ajuda provenientes das dioceses mais atingidas pelo terrorismo, a Fundação AIS decidiu, a nível internacional, avançar com medidas de apoio de emergência com vista à promoção e reintegração das comunidades cristãs deslocadas internamente.

Uma das situações consideradas mais urgentes prende-se com 18 famílias de catequistas provenientes da paróquia de Sebba e que foram forçados a deixar as suas casas, praticamente de mãos vazias, rumo à cidade de Dori.

O facto de serem catequistas em comunidades fez aumentar sobre eles a ameaça dos grupos jihadistas que têm semeado o terror no Burkina Faso e também em alguns dos países desta região de África.

Os 18 catequistas e suas famílias, por estarem na linha da frente da presença cristã nesta região – muitas vezes, na ausência de sacerdotes, são eles o rosto da Igreja – passaram a ser um alvo concreto para os terroristas.

Perante esta situação e face às crescentes ameaças, não restou qualquer alternativa do que partir para uma zona mais segura, neste caso um grande centro urbano.

A presença destas famílias em Dori representa agora um encargo adicional para a depauperada situação económica em que se encontra a diocese local, afectada desde 2015 pela violência terrorista.

Apoiar estas dezenas de pessoas, “é um desafio para os escassos recursos” da comunidade cristã local, como explicou D. Laurent Dabiré à Fundação AIS.

O Bispo de Dori assumiu a responsabilidade do acolhimento das famílias dos catequistas de Sebba, procurando dar uma resposta positiva às necessidades básicas que se colocam a quem partiu praticamente sem nada e agora tem de refazer a sua vida a muitos quilómetros de distância.

Depois de terem recebido uma ajuda de emergência para as primeiras necessidades, é preciso continuar a “garantir a estas famílias o mínimo necessário para a sobrevivência enquanto permanecerem aqui em Dori”, explica o bispo. E isso será necessário provavelmente ainda durante algum tempo.

De facto, estas famílias falam exclusivamente um dialecto local o que as impede de serem transferidas para outras dioceses. Perante a incapacidade da diocese de Dori suportar os custos inerentes à presença destas quase duas dezenas de famílias, a Fundação AIS lançou um projecto de apoio de emergência nas áreas da assistência médica, apoio psicológico, ajuda alimentar e para a criação de bolsas de estudo para as crianças e jovens.

Além disso, e porque é provável que a permanência destas famílias venha a prolongar-se no tempo, a Fundação AIS lançou também um fundo de apoio para actividades económicas de subsistência que incentivam a criação de animais e o trabalho na agricultura.

Além do apoio concreto às famílias dos catequistas deslocados de Sebba, a Fundação AIS vai avançar ainda com outros projectos de emergência que passam pelo apoio à formação de 83 futuros sacerdotes para as dioceses de Dori, Kaya, Fada N'Gourma e Tenkodogo, e ainda para a ajuda à subsistência de dez irmãs que trabalham na diocese de Dori.

Como complemento a todos estes projectos e procurando dar um sinal de proximidade para com as populações dispersas nesta vasta região, a Fundação AIS vai também apoiar a realização de programas de rádio, de forma a que a voz da Igreja esteja sempre junto dos fiéis, por mais isolados que estes se possam encontrar. No total, estes projectos ascendem a 100 mil euros.

PA | Departamento de Informação da Fundação AIS | info@fundacao-ais.pt

Comentários

Deixar um comentário
Os campos assinalados com * são de preenchimento obrigatório.

Observatório do país

Os cookies ajudam-nos a oferecer os nossos serviços. Ao utilizar a nossa página, concorda com a nossa política de cookies.
Saiba Mais