Fundação de Ajuda à Igreja que Sofre - Fundação AIS
Rua Professor Orlando Ribeiro, 5D 1600-076 Lisboa, Portugal
(+351) 217544000 apoio@fundacao-ais.pt Fundação AIS 1995
Lisboa
https://www.fundacao-ais.pt/uploads/seo/big_1585926010_1526_logo-jpg
15 10
505152304

Notícias

CHILE: Igreja histórica incendiada na capital chilena por manifestantes que assinalavam aniversário da revolta social

19 outubro 2020
CHILE: Igreja histórica incendiada na capital chilena por manifestantes que assinalavam aniversário da revolta social
A comunidade cristã chilena está em choque após a destruição pelas chamas da histórica Igreja da Assunção e a vandalização de um outro templo na capital chilena por manifestantes que procuravam assinalar um ano de protestos contra o governo.

“Deixa cair, deixa cair”, foi o grito de alguns encapuzados que festejavam a queda da cúpula da Igreja da Assunção, já consumida pelas chamas, numa altura em que os bombeiros tentavam proteger as pessoas do colapso do histórico edifício.

Antes de ter sido incendiada a Igreja da Assunção, ontem, domingo, dia 18 de Outubro, já outro templo tinha sido palco de violência extrema. A Igreja de São Francisco de Borja, utilizada com regularidade pela polícia nas suas cerimónias institucionais, foi saqueada e algumas das suas imagens queimadas na rua.

A comunidade cristã assistiu com “dor e preocupação” a mais este ataque contra igrejas no Chile, pedindo as orações de todos pelo fim da violência.

O Presidente executivo Internacional da Fundação AIS, mal se soube do ataque às duas Igrejas manifestou de imediato a sua solidariedade para com a comunidade cristã chilena, repudiando toda a violência.

“Estamos consternados com as agressões, saques e ataques as igrejas em Santiago do Chile”, disse Thomas Heine-Geldern, acrescentando que “os acontecimentos” de Domingo, dia 18, “mostram aonde chega a violência e o ódio promovidos por alguns grupos”.

Um ódio e violência, afirma ainda o Presidente da AIS, que “nada justifica”. Thomas Heine-Geldern expressa ainda a sua solidariedade para com o pároco da Igreja da Assunção, Pedro Narbona, que tem trabalhado directamente com o secretariado local da Fundação AIS. “Estamos consternados que ele tenha que sofrer um nível de violência contra a Igreja que até agora só conhecíamos em outras regiões do mundo...”

Para Heine-Geldern, não só “nada justifica o uso da violência contra a fé e crenças alheias”, como essa violência em nada “contribuirá para a defesa da justiça social, racial ou económica”.

Numa primeira reacção aos graves incidentes, em que as ruas foram tomadas por manifestantes que assinalavam um ano de protestos no Chile, o ministro da Cultura, Artes e Património, Consuleo Valdés, falava em “indignação e tristeza” pela destruição da Igreja da Assunção, também conhecida como Paróquia dos Artistas, e pela vandalização da Igreja de São Francisco de Borja.

Esta não é a primeira vez que igrejas no Chile são alvo de violência extrema. Há um ano, na sequência do início da onda de manifestações de protesto em várias cidades, algumas igrejas foram atacadas, nomeadamente a da Assunção [então vandalizada, com imagens retiradas do templo e destruídas, e com as paredes escritas com palavras de ordem contra a Igreja Católica]; a Igreja de Vera Cruz, no bairro de Latarria, também em Santiago; o Santuário de Maria Auxiliadora, em Talca; a Catedral de Valparaíso; e a paróquia de Santa Teresa dos Andes, como a Fundação AIS revelou então.

Calcula-se que, desde Outubro de 2019, cerca de 60 edifícios pertencentes à Igreja do Chile foram alvo de ataque. Dada a gravidade dos acontecimentos ocorridos neste domingo, dia 18 de Outubro, a Fundação AIS pede ao governo chileno que garanta a protecção dos edifícios religiosos.



PA | Departamento de Informação da Fundação AIS | info@fundacao-ais.pt

Comentários

Total de 1 Comentário(s)
Fabio Lino
Quero agradecer a pessoa/jornalista que publicou essa matéria: "CHILE: Igreja histórica incendiada na capital chilena por manifestantes que assinalavam aniversário da revolta social" Esperei o Papa falar algo sobre essas barbaridades sem sucesso. Em Portugal nada se falou em nenhum veículo da mídia sobre esses acontecimentos, para esconder a podridão da esquerda e do comunismo. Continuem assim!
Deixar um comentário
Os campos assinalados com * são de preenchimento obrigatório.

Observatório do país

Os cookies ajudam-nos a oferecer os nossos serviços. Ao utilizar a nossa página, concorda com a nossa política de cookies.
Saiba Mais