Fundação de Ajuda à Igreja que Sofre - Fundação AIS
Rua Professor Orlando Ribeiro, 5D 1600-076 Lisboa, Portugal
(+351) 217544000 apoio@fundacao-ais.pt Fundação AIS 1995
Lisboa
https://www.fundacao-ais.pt/uploads/seo/big_1585926010_1526_logo-jpg
15 10
505152304

Notícias

ÍNDIA: Cristãos dão exemplo de solidariedade em tempos de pandemia do Covid-19

2 julho 2020
ÍNDIA: Cristãos dão exemplo de solidariedade em tempos de pandemia do Covid-19
O agravamento da situação de pandemia em algumas regiões da Índia levou as autoridades a ordenarem um novo confinamento das populações. É o caso dos estados de Tamil Nadu, Maharashtra e Nova Deli. Estas são as regiões que mais preocupam agora as autoridades indianas quando o país está a registar uma média de 12 mil novos casos por dia e ultrapassou já a cifra dos 17 mil mortos. No entanto, os especialistas acreditam que o pico da pandemia só deverá ser atingido daqui a umas semanas.

É neste contexto extremamente difícil que a comunidade cristã tem vindo a dar exemplos notáveis de solidariedade. Em Março, a Associação Católica de Saúde, responsável por mais de 3.500 institutos, hospitais e centros de saúde, colocou à disposição do governo central cerca de 60 mil camas para situações de emergência.

Além disso, existem na Índia as chamadas Pequenas Comunidades de Cristãos, formadas normalmente nas zonas rurais, no interior, ou nos bairros mais pobres nas grandes urbes, onde é mais rara a presença de sacerdotes da Igreja. Essas Pequenas Comunidades são expressão da generosidade dos cristãos especialmente junto dos mais desfavorecidas.

Em lugares tão distintos como Mangalore, Chandigarh, Calcutá e Pune, os cristãos identificam as pessoas que estão em maior dificuldade e distribuem alimentos e outros bens de primeira necessidade, assim como meios de protecção, dando igualmente informações sobre o vírus e as suas consequências.

São iniciativas abertas a todos, sejam católicos, protestantes, hindus ou muçulmanos. Não é só nas zonas mais desfavorecidas ou distantes que se tem vindo a manifestar o espírito solidário dos cristãos da Índia em tempos de pandemia. Até na capital, Deli, existem Pequenas Comunidades de Cristãos que se têm mobilizado para a distribuição, por exemplo, de alimentos para trabalhadores ou famílias em maiores dificuldades.

Emmanuel Johnson, responsável por uma destas comunidades na capital indiana explica, à Fundação AIS, que os cristãos também têm estado empenhados em promover momentos de oração, juntando as pessoas em suas casas.

No passado mês de Abril, por exemplo, diz Emmanuel, “lançámos uma iniciativa de oração em família” que se estendeu por vinte dias, sempre ao princípio da noite. “Encontramo-nos em casa com membros da família e rezamos o rosário em união com as pessoas infectadas pelo vírus.”

Esse projecto, denominado “Pequenas Comunidades de Cristãos”, tem alimentado o espírito comunitário destas famílias, por vezes são ostracizadas, devolvendo-lhes dignidade e alguma segurança, agora tão necessária em tempos de pandemia…



No entanto, apesar do sinal de fraternidade que é transmitido por estes gestos, a verdade é que a Índia continua a ser um país onde as minorias religiosas têm sido profundamente discriminadas. Ainda recentemente foi divulgado mais um relatório da Comissão norte-americana para a Liberdade Religiosa Internacional.

Nesse documento, conhecido em Abril e referente ao ano de 2019, a Índia foi colocada entre os países “especialmente preocupantes” – uma espécie de ‘lista negra’ –, tendo a Comissão aconselhado o governo norte-americano a “impor sanções específicas às agências do Governo indiano e aos responsáveis pelas graves violações de liberdade religiosa, congelando os bens destes indivíduos ou proibindo a sua entrada nos Estados Unidos”.

No ano passado, observa o relatório, “as condições de liberdade religiosa na Índia registaram um agravamento drástico, com as minorias religiosas sob ataques cada vez mais frequentes”.

A esmagadora maioria da população indiana é hindu, cerca de 72%, enquanto os muçulmanos representam pouco mais de 14%. Os cristãos, apenas 4,7% da população total, são normalmente pobres, discriminados e muitas vezes proscritos.

A Fundação AIS lançou em Portugal, na Quaresma de 2018, uma campanha de sensibilização para a realidade, normalmente desconhecida, dos ‘dalits’, ou ‘intocáveis’. Calcula-se que cerca de 60% dos 29 milhões de cristãos da Índia sejam ‘dalits’, os que estão na base do complexo sistema de castas deste país. São pessoas que levam normalmente uma vida miserável, sendo quase que invisíveis aos olhos da sociedade.



PA| Departamento de Informação da Fundação AIS | info@fundacao-ais.pt

Comentários

Deixar um comentário
Os campos assinalados com * são de preenchimento obrigatório.

SOFRIMENTO
FÉ
RESSURREIÇÃO
Os cookies ajudam-nos a oferecer os nossos serviços. Ao utilizar a nossa página, concorda com a nossa política de cookies.
Saiba Mais