Fundação de Ajuda à Igreja que Sofre - Fundação AIS
Rua Professor Orlando Ribeiro, 5D 1600-076 Lisboa, Portugal
(+351) 217544000 apoio@fundacao-ais.pt Fundação AIS 1995
Lisboa
https://www.fundacao-ais.pt/uploads/seo/big_1585926010_1526_logo-jpg
15 10
505152304

Notícias

IRAQUE: D. Louis Sako condena atentado bombista contra casa de comerciante cristão em Amarah

3 dezembro 2021
IRAQUE: D. Louis Sako condena atentado bombista contra casa de comerciante cristão em Amarah
O líder da Igreja católica iraquiana condenou o atentado no passado domingo, dia 28 de Novembro, na cidade de Amarah, contra a casa de um comerciante cristão.

Apesar de ninguém ter sido morto ou ficado ferido, D. Louis Sako afirmou que o atentado provocou um sentimento de “terror na família” do comerciante, assim como “na comunidade cristã local”, pois trouxe de regresso “memórias da violência” que afectou o Iraque nos tempos recentes.

Segundo a polícia, um motociclista atirou um engenho explosivo artesanal contra a casa de um comerciante católico caldeu em Amarah, embora sem ter causado danos significativos. Acredita-se que o ataque foi motivado pela recusa do lojista em vender bebidas alcoólicas, apesar de estar licenciado para isso.

Este incidente, diz ainda o Cardeal Sako, vem lembrar que o Iraque se transformou “numa selva”, e que a violência causada por grupos extremistas tem levado grande parte da comunidade cristã abandonar o país. A saída de cristãos é também consequência de um ambiente ainda hostil que se evidencia no assédio aos lugares que ocupam na administração pública e, por exemplo, na perda de propriedades que, por vezes, são confiscadas “apesar dos esforços”, explica o Cardeal Louis Sako, “de algumas boas pessoas”.

PA | Departamento de Informação da Fundação AIS | info@fundacao-ais.pt

Comentários

Deixar um comentário
Os campos assinalados com * são de preenchimento obrigatório.

Observatório do país

Os cookies ajudam-nos a oferecer os nossos serviços. Ao utilizar a nossa página, concorda com a nossa política de cookies.
Saiba Mais