Fundação de Ajuda à Igreja que Sofre - Fundação AIS
Rua Professor Orlando Ribeiro, 5D 1600-076 Lisboa, Portugal
(+351) 217544000 apoio@fundacao-ais.pt Fundação AIS 1995
Lisboa
https://www.fundacao-ais.pt/uploads/seo/big_1585926010_1526_logo-jpg
15 10
505152304

Notícias

MALI: Padre Pier Luigi Maccalli libertado ao fim de dois anos de cativeiro às mãos de um grupo jihadista

9 outubro 2020
MALI: Padre Pier Luigi Maccalli libertado ao fim de dois anos de cativeiro às mãos de um grupo jihadista
O Padre italiano Pier Luigi Maccalli, da Sociedade de Missões Africanas, foi libertado ontem, 8 de Outubro, no Mali, ao fim de cerca de dois anos de cativeiro após ter sido raptado na Diocese de Niamey, no Níger, a 17 de Fevereiro de 2018.

Além de Pier Luigi foi libertado ainda o cidadão italiano Nicola Chiacchio, que se encontrava também em cativeiro. Ambos surgiram recentemente num breve vídeo de apenas 23 segundos, que foi assumido como sendo uma prova de vida para um eventual processo negocial com vista à libertação. Foram igualmente libertados dois outros reféns, a trabalhadora humanitária francesa Sophie Pétronin, e um político maliano, Soumaila Cisse.

Walter Maccalli, irmão do Padre Pier Luigi, e também sacerdote, está em Foya, na Libéria. Segundo testemunhou Alexandra Almeida, uma jovem missionária portuguesa que se encontra igualmente em Foya, o Padre Walter “ficou feliz e sem palavras”, quando soube que o cativeiro do irmão tinha chegado ao fim. “Só dá Graças a Deus…”, acrescentou ainda a jovem, oriunda da paróquia de Famões, no Patriarcado de Lisboa.

Para a Fundação AIS, a libertação do missionário italiano é uma feliz notícia. Como sublinha o presidente executivo da AIS, Thomas Heine-Geldern, ao longo de todo o tempo de cativeiro, “milhares de benfeitores rezaram em todo o mundo pela libertação do Padre Pier Luigi Maccalli”. O secretariado italiano, por exemplo, destacou-nos pelas iniciativas que foram sendo realizadas de mobilização da sociedade em favor da sua libertação, e “para que este grande missionário não fosse esquecido no seu país natal”, disse ainda Heine-Geldern.

A notícia da libertação do Padre Pier Luigi foi uma completa surpresa. Os únicos dados disponíveis referiam-se a uma eventual libertação, sim, mas apenas da trabalhadora humanitária francesa, Sophie Petronin.

Aliás, o simples rumor de que Petronin poderia estar a caminho de casa ao fim de quase quatro anos de cativeiro, criou de imediato a expectativa sobre um possível desenlace positivo também para o caso da Irmã Franciscana Gloria Narvaez Argoti, sequestrada igualmente por grupos jihadistas no Mali há três anos e oito meses.

De facto, Sophie Petronin e a Irmã Gloria Narvaez Argoti partilharam até agora e em conjunto a experiência de cativeiro às mãos de um dos grupos jihadistas com ligações à Al-Qaeda que têm vindo a transformar esta região de África num autêntico campo de batalha.

Os sequestros da irmã colombiana, que dedicou os últimos 12 anos da sua vida à missão em África – além do Mali, ela já esteve também no Benim –, assim como do padre italiano Pier Luigi Maccalli, foram apresentados entre as várias histórias da Campanha da Quaresma deste ano da Fundação AIS. Ambos foram retratados como exemplo de Mártires e Heróis por Amor que a Igreja tem oferecido ao mundo nestes últimos anos.

No último Relatório sobre a Liberdade Religiosa, publicado pela Fundação AIS e avaliando o período compreendido entre Junho de 2016 e Junho de 2018, refere-se que a situação de segurança no Mali “permaneceu muito instável” e que “vários grupos terroristas islâmicos, como por exemplo o autoproclamado Estado Islâmico ou a Al-Qaeda no Magrebe (AQIM), fizeram valer a sua influência neste país”.

O Relatório sublinha que “a frágil situação de segurança” que se vive neste país “causa problemas às minorias religiosas, que, devido aos seus reduzidos números, estão nalguns aspectos entre os grupos mais vulneráveis na sociedade”.

PA | Departamento de Informação da Fundação AIS | info@fundacao-ais.pt

Comentários

Total de 2 Comentário(s)
LUISA AZEVEDO SOARES
Graças a Deus, que alegria! Desde que, pela AIS, soube que estava vivo (vi o vídeo) embora rezasse todos os dias, na oração das três horas da tarde, por ele e pela irmã Glória cecília, pedi a intervenção de São Miguel e dos santos anjos na novena da festa e na quaresma de S Miguel que terminou no dia 29. Obrigada, AIS, por nos ajudarem a viver com os cristãos perseguidos. Deus os abençoe!
Joaquim Paes de Villas-Boas
Congratulamo-nos com a libertação do Padre Maccalli. Esperamos que recupere física e psicologicamente daquela situação. Os meus cumps, Joaquim Paes de Villas-Boas
Deixar um comentário
Os campos assinalados com * são de preenchimento obrigatório.


Observatório do país

Os cookies ajudam-nos a oferecer os nossos serviços. Ao utilizar a nossa página, concorda com a nossa política de cookies.
Saiba Mais