Fundação de Ajuda à Igreja que Sofre - Fundação AIS
Rua Professor Orlando Ribeiro, 5D 1600-076 Lisboa, Portugal
(+351) 217544000 apoio@fundacao-ais.pt Fundação AIS 1995
Lisboa
https://www.fundacao-ais.pt/uploads/seo/big_1585926010_1526_logo-jpg
15 10
505152304

Sementes de Esperança

Sementes de Esperança - Abril 2021

30 março 2021
Sementes de Esperança - Abril 2021
KOSOVO
UM PRESIDENTE NA PRISÃO

Treze anos após a proclamação da sua independência, a 17 de Fevereiro de 2008, o Kosovo esforça-se por voar com as suas próprias asas entre uma crise política e económica. Mas a Igreja Católica mantém o seu crescimento.

Superfície 10.908 km2
População 2.095.000 habitantes
Religiões Muçulmanos: 93,1% | Cristãos: 5,9% | Outras: 1%
Línguas Albanês, sérvio


Poderemos falar do Kosovo como um Estado de Direito? Treze anos depois da proclamação da sua independência por Hashim Thaçi, a 17 de Fevereiro de 2008, ainda não foi reconhecida por uma boa maioria dos Estados membros das Nações Unidas (96 de 184) – que incluem a Rússia e a China, mas também a Grécia e a Espanha – enquanto a União Europeia se encontra omnipresente e tenta obter um acordo com a Sérvia, acordo este que poderia ter a forma de trocas de territórios e/ou populações para os cerca de 5% de sérvios ainda presentes. Por outro lado, o Kosovo está sob uma profusão económica de actividades ilícitas e uma emigração galopante. Desde Novembro de 2020 que conhece uma nova dificuldade com a demissão do seu presidente Hashim Thaçi, acusado pelo tribunal de Haia de crimes de guerra. Este antigo responsável do Exército de Libertação do Kosovo é perseguido por uma dezena de acusações formadas. Proclamando a sua inocência, aceitou ser preso e transferido para ser julgado em Haia.



As pressões exercidas pelos representantes ingleses e americanos no Kosovo, durante o ano de 2020, para que o Mosteiro Ortodoxo de Visoki De?ani (inscrito como património mundial da UNESCO) possa vir a recuperar as suas terras contra a vontade das autoridades locais, ilustra bem a difícil situação da Igreja Ortodoxa no Kosovo. Os laços estreitos com a Sérvia não favorecem uma solução pacífica, apesar do seu hegúmeno, o Pe. Sava Janjic se encontrar afastado de Belgrado e inclinado a uma negociação entre kosovares. Igrejas, mosteiros e cemitérios têm sofrido ataques e profanações, acompanhados de uma limpeza étnica de facto entre a influência kosovar e o desejo dos sérvios de viver na sua terra.

Oração
Para que o Kosovo seja abençoado pela paz e pela harmonia, e possa prosperar como nação, nós Te pedimos Senhor.

OS MUÇULMANOS QUE SE DECLARAM CRISTÃOS


O número de fiéis ortodoxos, aumentado pela Sérvia e minimizado pelo Kosovo, deve rondar os 80 mil, mas em permanente decréscimo. Podemos questionar se a presença monástica, particularmente em Visoki Decani e Gracanica será hoje o último bastião visível daquilo que foi o berço da Sérvia cristã da Idade Média.

No entanto, a assinatura de um acordo entre a Sérvia e o Kosovo – sob a égide americana – em Setembro de 2020, que incluía a protecção de lugares santos e da liberdade religiosa, abriu uma janela de esperança.



Com os seus cerca de 60 mil fiéis (3% da população) e as suas aproximadamente 30 igrejas, a Igreja Católica kosovar, até agora muito minoritária, prepara-se para se tornar a primeira confissão cristã, devido ao êxodo dos ortodoxos. Mas a emigração dos jovens, sobretudo do sexo masculino, representa um problema muito grave neste país, onde os casamentos inter-religiosos não acontecem. Os Católicos são quase todos albaneses e partilharam o desejo de independência dos seus compatriotas muçulmanos: entretanto, esta comunidade católica mantém-se hoje discreta e as suas actividades, sobretudo pastorais, mantêm-se afastadas de desentendimentos e problemas que prejudicam o futuro do Estado kosovar.

Recordando o fenómeno marrano no sentido lato, os últimos 15 anos no Kosovo foram marcados pela conversão de muçulmanos à fé católica. Não se trata de um fenómeno por interesse, conforme pronunciado pelo antigo dignatário comunista da Albânia, Ismail Kadaré, com o objectivo de integrar os seus compatriotas na Europa, mas de um novo episódio de Laramans, aldeões muçulmanos que, desde o séc. XIX se declaram cristãos. Os seus antepassados tinham sido convertidos ou tinham passado para o Islão séculos antes por uma questão de sobrevivência, tendo continuado a praticar secretamente a sua fé cristã. O fenómeno actual toca principalmente o centro do Kosovo, onde apareceram novas igrejas. Tem sido acolhido com prudência pela Igreja Católica, preocupada com as boas relações com a comunidade muçulmana (mais de 90% da população) e o seu crescimento - algumas centenas? – é discutível, mas é um comovente testemunho de fidelidade.

Oração
Para que a Igreja Católica continue o seu trabalho constante e perseverante junto do povo Kosovar, nós Te pedimos Senhor.

A CATEDRAL MADRE TERESA DE PRISTINA

Assim que a Igreja Católica kosovar decidiu transferir a sua sede de Prizren para a capital Pristina, em 2005, a escolha de Santa Madre Teresa impôs-se para a sua nova catedral, acabada e consagrada 12 anos mais tarde. Estimada por todos, muçulmanos e cristãos, “Nene Teresa” não nasceu no Kosovo – só a família da mãe é originária de lá. Nasceu em Letnica, uma aldeia de 500 habitantes, perto da fronteira com a Macedónia do Norte, onde Madre Teresa terá tido uma visão. O monumento, com um campanário de estilo italiano, está situado sobre uma das colinas da cidade e integrou-se rapidamente na paisagem urbana, dando maior visibilidade à Igreja Católica.

ACN Portugal · Sementes de Esperança | Abril de 2021

Comentários

Deixar um comentário
Os campos assinalados com * são de preenchimento obrigatório.

Proposta de Oração

Os cookies ajudam-nos a oferecer os nossos serviços. Ao utilizar a nossa página, concorda com a nossa política de cookies.
Saiba Mais