Fundação de Ajuda à Igreja que Sofre - Fundação AIS
Rua Professor Orlando Ribeiro, 5D 1600-076 Lisboa, Portugal
(+351) 217544000 apoio@fundacao-ais.pt Fundação AIS 1995
Lisboa
https://www.fundacao-ais.pt/uploads/seo/big_1585926010_1526_logo-jpg
15 10
505152304

Sementes de Esperança

Sementes de Esperança - Março 2021

28 fevereiro 2021
Sementes de Esperança - Março 2021
SRI LANKA
UM PERDÃO CHEIO DE CORAGEM

Durante a Missa de Domingo de Páscoa de 12 de Abril de 2020, um ano após os atentados que provocaram mais de 250 mortos na ilha, o Cardeal Ranjith, Arcebispo de Colombo, declarou que os Católicos tinham perdoado os seus algozes. A Igreja espera agora que a justiça faça o seu trabalho.

Superfície 65.610 km2
População 20.811.000 habitantes
Religiões Budistas: 68,4% | Hindus: 13,2% | Cristãos: 9,1% | Muçulmanos: 8,6 % | Outras: 0,7 %
Línguas Cingalês, tâmil, inglês


“No ano passado, jovens irreflectidos atacaram-nos. Enquanto seres humanos, poderíamos ter dado uma resposta humana e egoísta”, declarou o Cardeal Ranjith, Arcebispo de Colombo, numa comovente homilia durante a Missa de Domingo de Páscoa de 12 de Abril de 2020 transmitida pela televisão, um ano após dos atentados que provocaram mais de 250 mortos em várias cidades do Sri Lanka. “Mas meditámos os ensinamentos de Cristo e fomos capazes de os amar, de os perdoar e de ter piedade deles”, continuou.

“Não os odiámos e não devolvemos a violência.” Este corajoso perdão é dirigido aos terroristas do grupo National Thawheed Jamaat (NTJ), associado ao autoproclamado Estado Islâmico, que fez explodir as bombas em três igrejas e três hotéis no dia 21 de Abril de 2019, provocando a morte de, pelo menos, 259 pessoas e a mutilação de cerca de 500. Uma verdadeira carnificina! O Pe. Jude Fernando, reitor da Paróquia de Santo António, onde foram mortas 45 pessoas e feridas 138, confirma o perdão concedido: “O ano passado, no domingo seguinte aos atentados, os seminaristas rezaram esta oração: “Pai, perdoa-lhes porque não sabe o que fazem” e, durante todo o ano, em cada Domingo, repetiram a mesma oração… Sim, podemos dizer que perdoámos os terroristas”. Neste mesmo espírito, logo a seguir aos atentados, o Cardeal Ranjith falou em público, pedindo que todas as comunidades se perdoassem mutuamente. Foi ousado mas necessário para este país insular, multi-religioso e multi-étnico, onde a recordação da guerra civil ainda está muito presente.


Oração
Para que o perdão semeado pelos Cristãos do Sri Lanka dê muitos frutos de conversão, nós Te pedimos Senhor.

REGRESSO À NORMALIDADE


Hoje, um ano depois dos atentados, os Cristãos estão melhor. E voltam às igrejas. A tal ponto que, mesmo antes da pandemia da Covid-19, que veio impor o encerramento das igrejas, “a participação na Missa era 80% do habitual”, como testemunha o Pe. Jude. Estes atentados vieram até contribuir para a reunião entre pessoas de confissões diferentes no seu santuário, constatou, salientando a presença de numerosos budistas e muçulmanos. A 21 de Abril de 2020, os Cingaleses deviam reunir-se para o aniversário dos atentados. “Os Cristãos esperavam este acontecimento mas, devido ao confinamento, não foi possível realizá-lo”, explica o Pe. Jude. Apesar de tudo, teve lugar uma cerimónia com a presença do arcebispo e três padres. Paradoxalmente, o confinamento dá segurança aos Cristãos porque, uma vez que não é possível a realização de encontros, diminui também a possibilidade de atentados.


Mas, se a maioria dos paroquianos vai voltando hoje à sua vida normal (com excepção do confinamento), continua o caminho de cura na sua lentidão e dor, com o medo de um novo atentado sempre presente. Agravado pelo facto de, um ano depois, a Justiça ainda não ter, aparentemente, feito completamente o seu trabalho, apesar da detenção de 135 pessoas.


Oração
Para que as feridas provocadas pela violência e pelo ódio sejam por Ti uradas e dêem lugar à aceitação, ao consolo e à paz, nós Te pedimos Senhor.

DÚVIDAS SOBRE A INVESTIGAÇÃO


Em Março de 2020, o Cardeal Ranjith não poupou palavras para exigir que se faça justiça. “Não hesitaremos em sair à rua para salvaguardar os direitos do nosso povo”, afirmou, manifestando sérias dúvidas sobre a investigação lançada pelo presidente da altura, Maithripala Sirisena: “O processo parece não ser transparente. Alguns dados que deviam vir a público, estão escondidos.”


O actual chefe de Estado, Gotabaya Rajapaksa, eleito em Novembro por ter afirmado claramente querer lutar contra o terrorismo depois dos atentados, anunciou querer “acelerar as investigações em curso”. Nomeou em Fevereiro uma nova equipa de seis pessoas dedicadas à investigação. O Pe. Jude está confiante: “Estou num estado de espírito positivo, penso que vai chegar-se a bom porto e espero que seja feita justiça.” Que Deus o oiça!


Oração
Para que se faça justiça e sejam respeitados os direitos do povo Cingalês, nós Te pedimos Senhor.


UMA GUERRA CIVIL QUE MAL TERMINOU

Durante 26 anos, de 1983 a 2009, grassou uma guerra sangrenta entre os Tigres Tamil separatistas (Liberation Tigers of Tamil Elam - LTTE) e as forças governamentais dominadas pela maioria cingalesa budista. O conflito custou a vida a 70 mil pessoas e traumatizou milhares. Os atentados da Páscoa de 2019 reavivaram este passado doloroso.

Comentários

Deixar um comentário
Os campos assinalados com * são de preenchimento obrigatório.

Proposta de Oração

Os cookies ajudam-nos a oferecer os nossos serviços. Ao utilizar a nossa página, concorda com a nossa política de cookies.
Saiba Mais